domingo, 13 de outubro de 2013

Fragmentos

Não darei desculpas, basta as que crio para mim. Tento evitar o risco de ser hipócrita, falsa ou blasé. Mas os últimos meses foram assim, de inconstâncias a sorrisos de canto. De alívios a ensaios de esperança. 

Meus textos continuaram aqui, narrados em minha mente em momentos que meus olhos perdiam o foco. E fugiam, minutos antes de ver uma folha. Mesmo assim permanecem ecoando, buscando expressão. Indo e vindo, no encosto da noite. Desejando sonhos interrompidos. 

Vivendo na licença poética, na satisfação de um poema escrito. Encontro-me assim... em prosa e verso, em linhas e desencantos. 

*Tentando retomar, sem promessas. Mas com o mesmo desejo...